Profº Fernando Alves Firmino

Profº Fernando Alves Firmino

Compartilhe

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Dia dos professores

     Temos o que comemorar? Sim...apesar de a cada governo o descaso com a educação aumentar, os salários serem vergonhosamente baixos, as famílias tratarem como se fossemos babas e ainda achar que devemos educar seus filhos...estamos firmes.

     Firmes no propósito de passar conhecimento e estimular o crescimento, de acreditar que as famílias possam voltar a ser famílias e educar e participar do processo.

     Sim, somos uma espécie em extinção, somos professores.

    Apanhamos, somos ameaçados, esquecidos e marginalizados pela sociedade.

     Mas saiba que se você hoje canta, dança, joga algum esporte, escreve, lê, viaja, se comunica é porque um professor fez parte em algum momento de sua vida.

     Feliz dia do professor.

    Aos mestres que tive em minha vida, só tenho a agradecer, obrigado por tudo que fizeram por mim.

     Deus abençoe a todos...


segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Eleições

     As urnas são o retrato dos anseios do povo? Ou são o reflexo de décadas de falta de aprofundamento em nossa história, erros e de nossa bagagem cultural?

     Se antes discutíamos pouco sobre propostas, nesta eleição não houve nem pouca discussão. E o segundo turno é o retrato disto, dois candidatos que nada acrescentam, de um lado o ódio, a intransigência, a truculência de alguém que ficou três décadas sem nada fazer na câmara, mas todos dizem o contrário. Do outro lado, um ex-ministro, ex-prefeito, fraco, sem propostas que só sabe dizer Lula Livre(não questiono juridicamente o mérito da questão, pouco importa para mim). Os vices deles então, Jesus, um pior que o outro, um torturador e uma alienada.

     Mas ai vamos pensar, e votaríamos em quem? Verdade...
     Que eleição bisonha, com candidatos horríveis e estamos entregando o país a pessoas tão ruins quanto os que estão no poder a décadas.

     Ficamos com péssimos presidentes nas últimas décadas, mas é claro que houveram avanços dirão um ou outro, mas e as questões a longo prazo, que são estas que mudam o país...nada foi feito.

     O Brasil racista, homofóbico, xenófobo, truculento, preconceituoso,de fanáticos religiosos mostra sua cara.

     Mas talvez não seja isto, sou eu que sou babaca demais por acreditar em democracia, no poder da educação e do conhecimento, acreditar que devemos olhar para as pessoas pelo seu caráter e não pela arma que carrega, pela cor de sua pele ou pela sua opção sexual ou pela bandeira religiosa.

     Não ataco ninguém, pois mesmo não concordando respeito, mas a história já nos ensinou onde isto vai dar.

     Assim como você tem direito de expor a truculência ou o fanatismo por A ou B, respeite, tenha educação e bom senso e respeite minha diferença por não ser racista, homofóbico, por não defender religião (acredito em DEUS e não em igrejas).

     Tenho orgulho do que sou, mesmo não sendo o que os outros desejam que sou. Sou pobre sim, filhos de migrantes nordestinos sim, descendentes de imigrantes italianos, morador de periferia, honesto, que é trouxa mesmo estando sem condições de realizar ações sociais sem pedir nada em troca, nem publicidade, sim, este sou eu. Não preciso de armas, não preciso de bandeiras partidárias para dizer que acredito na democracia, sou só mais um trouxa, como tantos outros que acreditam que poderíamos ser mais...mas não somos.


terça-feira, 2 de outubro de 2018

Eleições chegando

     Chegando o dia da eleição e nos cargos majoritários me recusei a votar em branco ou nulo, mas não votarei nos amarelos, nos vermelhos e também não votarei nos revoltados, vou votar em algum pequeno candidato, assim fico ao menos com a consciência tranquila.
     A democracia é feito de não votar pela modinha...os amarelos e os vermelhos afundam nosso país desde os anos 90, agora soma-se a eles o revoltado que não sabe falar nada, que ficou três décadas, como muitos outros, não fez nada e que ser o "DEUS" de uma nação.
     Mas também devemos lembrar que o país vem em um processo de corrosão da instituição família, não por questão de opção sexual, como dizem muitos fanáticos religiosos, mas sim pela questão da ordem, disciplina familiar, fui criado assim.
     Acredito na educação, mas com professores sendo transformados em babas ou vigias de luxo dos filhos, pois é isto que 95% dos pais moderninhos acham, que escola deve educar e não deve, escola passa conhecimento, educação é em casa, mas isso da trabalho, tem que parar de assistir seu seriado preferido, parar de jogar videogame, desligar o smartphone e sentar para conversar todo dia com os filhos, complicado, se ele não sabe o que é hierarquia em casa, acha que ele ira respeitar professores, idosos e amigos?
    Ai na hora de escolher candidatos, onde esta o debate de ideias? Só se fala em gerar isso, cortar aquilo, mas o povo precisa ampliar a questão.
     Tenho uma visão limitada talvez, mas é o que acredito, se não começarmos a discutir as pequenas coisas e cumprir nossos deveres e cobrar nossos direitos fica difícil.
    Desrespeitando idosos,gays, negros, amarelos, pobres não iremos a lugar algum, destruindo a natureza, jogando lixo na rua e etc.
     O resgate de valores se faz necessário, para podemos ampliar as discussões. Valorizar a cultura, aprendermos a história de nosso bairro, cidade e país, mas alguns dirão, mas a história é tão suja, mesmo assim devemos ter este conhecimento, pois é assim que crescemos, olhe as grandes nações, o valor que elas dão ao conhecimento de sua história e valores, mesmo a sujeira que a por trás dela.
     Ler mais, ouvir os mais velhos, difundir conhecimento, divergir é saudável. Agora fanatismo político, religioso, ideológico são ácidos que corroem a sociedade.
     Precisamos combater isso. Vote com consciência.